More road ramblings


"Para que facilitar se podemos complicar?" penso em mais um momento de nervoso profundo. Já não basta ter que me deslocar de semana em semana para um lugar que em nada mais contribui para meu crescimento pessoal e estar presa em coletivos sem janela, agora os mesmos resolveram ter televisões.
Está bem, não é uma coisa nova. Desde que comecei minhas viagens sem fim esta companhia passa filmes para entreter todos os felizes e contentes passageiros. Mas de uns tempos para cá, o ECAD deve ter caído em cima e começado a cobrar horrores, somente liberando filmes produzidos até 1970 que foram massacrados pela crítica. Não entendo a necessidade de tanto. Setenta por cento dos passageiros dorme antes do primeiro quilômetro de viagem. Vinte por cento leva suas próprias formas de entretenimento e o resto, bom o resto ou bisbilhota quem estiver por perto ou tenta de todas as formas trocar dedinhos de prosa com qualquer coitado com que cruze olhares. Mas isso é discussão para outro dia.
Hoje, especialmente hoje, que a viagem estava o mais próximo do agradável possível, resolvem botar bang-bang, no melhor estilo Tela Class, num volume que dispensaria a necessidade de telefone numa cidade pequena como São Paulo. Por que não ir até o motorista e pedir para diminuir o volume? Pois já houve uma boa alma, com intenções sonolentas, que pediu que o tal fosse feito. Mas nada. Penso em fazê-lo de novo, mas quem garante que minha atitude não seria mal interpretada como pedantismo e provocaria a ira e uma maior teimosia por parte do indivíduo, como daquela vez que pedi que o ar condicionado fosse ligado e acabei indo para casa me sentindo na Sibéria? Não, o melhor era usar outros meios. Estou dividida, porém. Embora simplesmente arrancar os fios das caixinhas de som pareça ser o método mais efetivo, o soco no televisor parece ser o de maior consequências estéticas e morais. Já quase me levanto, decidida a transformar a telinha em cacos sujos de sangue e saliva, pois não pretendia ser mais baixa que o filme no meu discurso inspirado em One Step Closer, eis que o barulho cessa. Será que eu só precisava rezar para que forças maiores desligassem o tal DVD? Quando levanto a cabeça, me dou conta do término providencial da sessão tortura.

Ah! Agradável sensação de quase-vazio sonoro, com a volta dos ruídos dos solavancos e ar condicionado e do MP3, cujo shuffle ama somente a 20 músicas de 538. Finalmente posso dizer, que viagem relaxante!

3 comentários:

  1. Idris Naulleau disse...

    About complex simplicity :
    I'm agree but it's important to believe in something at the base for advance in the life.

    about More road ramblings :
    I don't understand all (i'm french and google translate bad ^^) but i understand the outline.
    It should not be slave of the systeme but it must know how to integrate it.
    knowledge integrate and to be the master.

    Sino, bueno blog me gusta tus idéas por el momento y tu manera de vivir.

    And do not forget, the main in the life it is to be happy.

    Kiss, i love you, continue on you're way


    Translate in french (more detailed) =>


    Sur "complex simplicity" :

    Je suis d'accord, mais il est important de croire en quelque chose à la base pour avancer dans la vie. Avoir des croyances de bases et/ou des idéaux qui font notre personnalité.

    Sur "More road ramblings" :

    Je ne comprends pas tout (je suis français et Google traduit mal ^^) mais je comprends les grandes lignes et je crois voir ou tu veux en venir (enfin j'espère :))
    Il ne faut pas être l'esclave du système mais il faut savoir comment l'intégrer.
    Il faut savoir s’intégrer partout (en restant fidèle à nos grands principes de base, par exemple : ne pas tuer). Après chacun fait le choix de vivre comme il l'entend, tant qu'il est heureux...

    Sinon bon blog, j'aime tes idées pour le moment (des 2 articles que j'ai lu). Je lirai le reste plus tard.

    Il faudrait plein de personnes comme toi dans la vie!!!! :)


    Et n'oublie pas, le principal dans la vie c'est d'être heureux, quelque soit ton chemin.

    Bisous, je t'aime, continue comme ça.  

  2. Idris Naulleau disse...

    ps : i'm plok64 in last fm  

  3. Anônimo disse...

    http://site.ru - [url=http://site.ru]site1[/url] site
    site2